How to take the best part of BPM Solutions?

5

Source: Semana Informática

O ritmo de crescimento na adopção do BPM tem sido lento, pelo que o seu impacto ao nível dos recursos humanos também não tem crescido significativamente. Mesmo assim, os fabricantes de tecnologia e as consultoras que trabalham nesta área reconhecem que há escassez de recursos especializados e que o número de pessoas nas empresas com formação adequada para ajudar a fazer do BPM um mecanismo de redução de custos e não apenas um investimento é reduzido.

O Semana perguntou a cinco especialistas em business process management (BPM) o que devem fazer as empresas para tirar melhor partido destas ferramentas. Aqui ficam as respostas:

«Mesmo com a tecnologia adequada e a implementação correcta, o saldo positivo na implementação de um projecto de BPM só será alcançado se também dedicarmos uma boa fatia do esforço às pessoas. Estes projectos têm por definição um significativo impacto nas organizações, na forma como as pessoas desempenham as suas tarefas, resultando numa mudança cultural.» Fernando Dias, Portugal sales consulting manager da Oracle.

«Para tirar partido das vantagens deste tipo de soluções é preciso que as empresas observem diversos factores, que vão desde o grau de preparação tecnológica ou do nível de consolidação dos seus sistemas, passando pelo estágio de desenvolvimento da sua estratégia de integração, até ao nível de preparação dos seus colaboradores, quer estes sejam técnicos ou funcionais.» José Tavares, business developer da SAP Portugal.

«Na área de BPM, o processo de mudança é fundamental. Envolver os diversos interlocutores e alinhar os conceitos, a abordagem e as linhas transversais que se pretendem para o resultado final são aspectos determinantes para o sucesso. A participação do negócio em cada momento é essencial, porque se sabe, concretamente, o que se necessita para atingir os objectivos colocados, e com uma intervenção activa contribui-se para esse resultado.» Pedro Moutinho, manager da Novabase.

«Mais do que o foco na tecnologia, é necessário que as empresas caminhem no sentido de aumentar o seu nível de maturidade nesta área e que sejam organizações efectivamente estruturadas, organizadas, geridas e orientadas a processos. Esta mudança de paradigma altera não só a forma como os decisores e executivos pensam e estruturam as suas instituições, mas também inclui alterações na estrutura organizacional, na lógica de avaliação do desempenho, nos papéis, nas responsabilidades, nos valores e na cultura.» Luís Correia, manager da Safira.

«As pessoas são um factor-chave de sucesso dos projectos de BPM. No contexto das soluções de BPM, o factor humano é ainda mais crítico, pois em muitos casos as pessoas escondem algumas ineficiências das organizações sob pena de serem dispensados, ou por sentirem receio que as ferramentas automáticas e as plataformas de BPM as possam substituir, constituindo um factor de resistência assinalável.» Jorge Pereira, CEO da Infosistema.


sdfsdf